Considerando Loucuras

      Eu sou normal, É isso que diz no título do blog, e não apenas que sou normal mas que sou mais uma, ou seja, somos muitos! Mas embora hoje eu tenha essa ideia de mim mesma, nem sempre foi assim.

GEDC0463.JPG
Sempre fui sonhadora ao extremo. E não apenas sonhadora do tipo alcançar lugares altos na sociedade ou fazer meus planos profissionais darem certo, mas sonhadora do tipo: “E se eu tivesse vivendo um apocalipse zumbi, como iria sobreviver?” e passar 2 dias traçando planos para isso. Mas também sempre fui bastante comunicativa, logo, todos os meus delírios eu contava pra a primeira pessoa que me desse 1 centavo de ousadia. Não bastasse isso, eu também sou distraída, tenho os pés pra dentro e sou desastrada. Então eu sou o perfil completo de uma pessoa no mínimo estranha.

      Não demorou muito pra as pessoas me considerarem como louca, lembro que na 7ª série fui novata em uma escola, e poucos meses depois já me chamavam de “aluada“, lembro também das discussões na EBD ( escola bíblica dominical ou classe de jovens da igreja pra quem não é do contexto) onde as pessoas desconsideravam 70% das minhas observações porque eram bem bizarras, e  nem te falo das ideias que eu dava, sempre ouvia um ” Lá vem Raisa…” 

     Claro que o tempo foi passando e eu fui medindo as coisas que falava, pra quem eu falava, e como eu falava. E também aos poucos fui conquistando mais respeito na minha fala, mas nunca me livrei do estereótipo de pessoa esquisita. As vezes isso incomodava, principalmente porque é bom a consideração e o respeito do próximo ante as minhas observações sobre a vida. Mas na maioria do tempo eu nem ligava (parte por ser distraída), até que era bem legal ser a diferentona rsrs. O caso é eu acho que minha loucura me fez mais bem do que mal.

      Além da autenticidade, a minha loucura me fez considerar todas as possibilidades de uma afirmação. Minha loucura me fez ter empatia pelas pessoas, pela facilidade que tenho em imaginar situações diferentes das que costumo a viver. Minha loucura me fez ser uma pessoa observadora, questionadora, e inclusive, minha loucura me fez entender que nem sempre as coisas são o que aparentam. Porque apesar de tudo, eu não sou louca!

     Hoje com 24 anos, entendo que a maioria das coisas que foi considerado loucura em mim, são uteis, as uso inclusive para preencher o blog e ainda tenho a felicidade de ouvir comentários como ” você me fez observar essa situação de uma outra maneira” ou ” eu te entendo! me abraça aqui” e até um ” obrigada por escrever isso”. Até posso fazer planos para o outro tanto do que consideraram loucura em mim, um dia isso tudo ainda vai render um livro, uma história de ficção maravilhosa que eu ainda tenho fé que vou escrever!

     Então queridos, se você se identificou com esse meu relato tenha certeza que você não está Louco, você é “apenas” incrível, uma ótima pessoa de se conviver, Be happy!

Anúncios

Um comentário sobre “Considerando Loucuras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s