Redescobrir

Hoje recebi umas fotos de quando eu era pequena.
Me surpreendi, meus primeiros comentários foram: ” Nossa, eu era bonita. e não era tão gorda.”

Fiquei vasculhando na minha mente, se eu me achava bonita ou magra naquela época. Não me lembrei de nenhum momento em que eu tivesse a completa certeza de que eu era uma menina bonita.

Lembrei de alguns fatos: Lembrei de dicas de pessoas mais velhas sobre como manter a postura para esconder a barriga e aumAr5oGfywEg6-e47I59exFpk3HSh4bu8_nUL-XQ3q_MxIentar a bunda. Lembrei de quando algumas pessoas até mais velhas que eu
comparavam a gordura delas com a minha. Lembro de uma vez presenciar o seguinte comentário: ” Olha, fulana, tá gordinha hein?! cuidado pra não ficar igual a Raisa” Resposta:” Oxe, tá repreendido!” sim, na minha frente. Era comum as pessoas olharem pra mim e falarem que eu era gorda e precisava emagrecer, se quisesse casar, se quisesse ser bonita. Me lembro de me proibirem de ir em certos brinquedos, para não danificá-los.

Me lembro que nunca dei muita importância pra esses comentários. Era fato: Eu era gorda, precisava melhorar, OK! Não me lembro na minha infância de chorar porque era gorda, mas lembro de saber que era, e saber que se eu quisesse ser bonita, tinha que emagrecer. Essas coisa de me importar com isso começou depois dos 16.

Aos 16 isso tava tão impregnado em mim. Essa lei de como ser aceita, bonita. Que algumas coisas começaram a despontar: Nunca fui muito segura de mim. Quem convive comigo sabe da luta que to vivendo pra me dar um pouco de crédito, pra aprender a confiar nas coisas que faço e no que posso fazer. Quem é meu amigo de verdade, sabe o quanto é difícil tentar superar isso a cada dia. E eu sempre me perguntei porque eu era assim. Se eu recebia tanto amor e tanto incentivo de minha mãe.

Mas ao olhar essas fotos, e me lembrar de todos esses momentos, eu entendi. COMO eu ia crescer confiando em mim, se era bombardeada de todos osAskmoToFUFucw4i2PnEvtrgk8L5ctOYIHDsnPtgAkA9m lados com esses comentários “inofensivos” e “para o meu bem”? Comentários do cotidiano: “isso é pra ela entender e se motivar a emagrecer, porque depois ela vai chorar e se sentir feia, o mundo é cruel” SÉRIO? O MUNDO É CRUEL?
As pessoas me feriam com desculpas de tentar me proteger.
As vezes você não tem ideia do que pode fazer quando impõe conceitos de beleza a uma criança de 6 ou 12 anos. Quando tenta: arruma-la pra se encaixar em padrões desnecessários. Você não faz ideia do rasgo que faz na alma daquela criança.
E pra concertar isso querido. Não são com comentários positivos. Pra desfazer isso, não são com abraços e dietas, ou discursos de autoaceitação.

Você fez alguém acreditar que ela é naturalmente feia. Ela precisa encontrar sozinha o caminho para achar beleza em si novamente.

Ao olhar essas fotos, eu descobri um pouco de mim.
No fim das contas, olhar as fotos me ajudou
.

Anúncios

5 comentários sobre “Redescobrir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s